Boulos lidera com 37,2%, seguido por Nunes com 20,5% na corrida pela Prefeitura de SP, diz pesquisa Atlas/CNN

Pesquisa revela intenções de voto para Prefeitura de São Paulo: Boulos lidera com 37,2%, seguido por Nunes com 20,5%, Marçal com 10,4% e Tabata com 9,9%, diz pesquisa Atlas/CNN

Boulos, Ricardo Nunes e Pablo Marçal Foto: Montagem

Guilherme Boulos desponta na liderança

O deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, Guilherme Boulos, lidera com 37,2% das intenções de voto, segundo levantamento do instituto AtlasIntel em parceria com a CNN. A pesquisa, realizada entre 22 e 27 de maio, ouviu 1.670 moradores da capital paulista e tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Ricardo Nunes e outros candidatos

Ricardo Nunes (MDB), atual prefeito e pré-candidato à reeleição, aparece em segundo lugar com 20,5% das intenções de voto. O empresário Pablo Marçal (PRTB) ocupa a terceira posição com 10,4%, seguido pela deputada federal Tabata Amaral (PSB), que tem 9,9%. O jornalista José Luiz Datena, recentemente filiado ao PSDB, e o deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil) têm ambos 7,9%.

Outros candidatos na disputa

A economista Marina Helena (Novo) obteve 3,5% das intenções de voto, enquanto o metroviário Altino Prazeres Jr. (PSTU) ficou com 0,5%. Eleitores indecisos somam 0,9%, e 1,4% declararam que pretendem votar em branco ou nulo. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o código SP-05357/2024.

Cenários alternativos e metodologia

Quando excluídos Datena e Marçal do cenário, Boulos mantém seus 37,2% enquanto Nunes sobe para 32,6%. A pesquisa também revela que Tabata Amaral caiu de 14,7% em abril para 11,1% em maio, e Kim Kataguiri permanece estável com ligeira queda de 9,4% para 9,3%. A metodologia da pesquisa utiliza o Recrutamento Digital Aleatório (Atlas RDR), que evita o impacto psicológico da interação humana, proporcionando um ambiente anônimo e seguro para os entrevistados.

A pesquisa destaca um cenário político dinâmico e a disputa acirrada para a Prefeitura de São Paulo, refletindo as preferências dos eleitores paulistanos à medida que a eleição se aproxima.