Estrela da WNBA foi detida há cinco meses por posse de óleo de haxixe

O julgamento na Rússia da estrela norte-americana de basquete Brittney Griner deve terminar “muito em breve”, disse sua advogada nesta terça-feira (2), quando o Kremlin alertou os Estados Unidos que a diplomacia de megafone não garantiria uma troca de prisioneiros que beneficie a texana de 31 anos.

Griner, duas vezes medalhista de ouro olímpica e estrela da WNBA, foi detida no aeroporto de Sheremetyevo, em Moscou, em 17 de fevereiro com cartuchos contendo óleo de haxixe em sua bagagem.

Ela se declarou culpada das acusações de porte de drogas, mas negou intenção de infringir a lei russa. Ela pode pegar até 10 anos de prisão.

A advogada Maria Blagovolina, sócia do escritório de advocacia Rybalkin, Gortsunyan, Dyakin and Partners, disse que um veredicto no caso é esperado “muito em breve”. A defesa e a acusação devem apresentar suas alegações finais na quinta-feira.

O caso contra Griner destacou as relações tensas da Rússia com os Estados Unidos devido às ações de Moscou na Ucrânia.

Blagovolina disse que Griner ouviu que Washington fez o que o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, chamou de “oferta substancial” a Moscou para libertar cidadãos norte-americanos detidos na Rússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, que expressou surpresa com a natureza pública dos comentários de Blinken na ocasião, disse nesta terça-feira (2) que qualquer conversa sobre uma possível troca precisa ser discreta.

“Ainda acreditamos que qualquer troca de informações sobre esse assunto deve ser discreta”, afirmou Peskov a repórteres em uma teleconferência. “A diplomacia do megafone e a troca pública de opiniões não levarão a resultados.”

Fonte: Reuters