Criptomoedas: Scarpa ataca “pilantras” por golpe milionário e diz que “quem deve vai pagar”

Meia busca recuperar mais de R$ 6 milhões que sumiram em investimento na Xland, após indicação de Willian Bigode, seu ex-colega de Palmeiras e hoje adversário na Justiça

O jogador de futebol Gustavo Scarpa fez um desabafo nas redes sociais, revelando a frustração de ter sido vítima de um golpe milionário ao investir em criptomoedas. Atualmente no Olympiacos, da Grécia, Scarpa busca recuperar mais de R$ 6 milhões que desapareceram na Xland, uma empresa de criptomoedas.

Com uma imagem de um livro, Scarpa iniciou seu desabafo mencionando que desde a revelação do golpe no programa “Fantástico”, ele enfrentou dificuldades para concentrar-se em uma de suas paixões, a leitura.

Gustavo Scarpa está jogando no Olympiacos — Foto: Divulgação / Olympiacos

Ele expressou seu desejo de retomar essa paixão, que havia sido interrompida devido ao golpe financeiro que sofreu. Scarpa também aproveitou a oportunidade para denunciar aqueles que considera responsáveis pelo golpe, chamando-os de “pilantras”. O investimento fraudulento foi feito com base na indicação de Willian Bigode, seu ex-companheiro de equipe no Palmeiras, que agora é seu adversário na Justiça.

Scarpa destacou o impacto emocional do golpe, que o fez buscar hobbies mais repletos de adrenalina, como skate e wakeboard. No entanto, ele compartilhou sua alegria por finalmente conseguir voltar à leitura, quase um ano após o ocorrido.

Entretanto, o jogador não poupou palavras para criticar aqueles que considera responsáveis pelo golpe, mencionando que eles continuam levando suas vidas normalmente e enganando outras pessoas. Ele ressaltou a hipocrisia dessas pessoas, que desejam o bem para todos, mas não reconhecem sua dívida.

Em um tom determinado, Scarpa afirmou sua convicção de que quem lhe deve irá pagar, concluindo seu desabafo de forma assertiva.

Gustavo Scarpa desabafa nas redes sociais sobre golpe em criptomoedas — Foto: Reprodução

Scarpa e seu colega Mayke foram vítimas do golpe, ambos investindo por meio da indicação de Willian Bigode, que atualmente joga pelo Athletico-PR. Para recuperar o dinheiro perdido, Scarpa solicitou à Justiça que 30% dos salários de Willian fossem direcionados a ele. No entanto, essa solicitação foi negada em duas ocasiões nos últimos meses.

Apesar disso, Willian Bigode continua como réu no processo que investiga o desaparecimento do dinheiro investido por Scarpa em criptomoedas. Além do jogador, sua esposa e sócia, Loisy Coelho, e outra sócia, Camila Moreira de Biasi Fava, também enfrentam acusações.

Gustavo Scarpa e Willian Bigode na época que atuaram juntos pelo Palmeiras — Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Scarpa e Mayke registraram um Boletim de Ocorrência em novembro e, somados, perderam mais de R$ 10 milhões. Willian também afirma ter sofrido um prejuízo de R$ 17,5 milhões.

O programa “Fantástico,” da TV Globo, revelou em março mensagens trocadas entre os jogadores, revelando a deterioração da relação entre eles após o golpe.

Scarpa foi introduzido à Xland por Willian, e o advogado do meia argumenta que as mensagens trocadas comprovam a relação de cliente entre Scarpa e a empresa de Willian Bigode. A defesa de Willian, no entanto, discordava dessa visão, alegando que Scarpa nunca fez pagamentos à WLJC, a empresa de Bigode.

Os contratos dos atletas com a Xland tinham como garantia 20kg de alexandrita, uma das pedras preciosas mais caras atualmente. Essas pedras estão retidas em uma caixa de segurança em São Paulo. A empresa alegou que o mineral valia R$ 2,5 bilhões, embora tenha gastado apenas R$ 6 mil para adquiri-lo, um valor considerado irreal por especialistas.

O caso explodiu após o título conquistado pelo Palmeiras em novembro de 2022. Scarpa e Mayke acusaram a empresa de Willian, a WLJC Consultoria e Gestão Empresarial, e a Xland Holding Ltda de golpe. A defesa de Bigode alegou que ele também foi vítima e que não recebeu para indicar o investimento.

Scarpa foi apresentado à Xland por Willian em junho de 2020, por meio de uma apresentação sobre criptomoedas. Bigode afirmou em áudio que a empresa da qual era sócio tinha “nossa fidelidade e parceria com a Xland”. A promessa era um lucro de até 5% ao mês, muito acima do que qualquer outra aplicação no mercado. Gabriel Nascimento, um dos donos da Xland, chegou a alegar que a empresa possuía mais de R$ 2 bilhões em pedras de alexandrita, além de chácaras e terrenos como garantia.

Para Mayke e sua esposa Rayanne, Camila Moreira de Biasi Fava, sócia de Willian, foi quem falou sobre o investimento e argumentou que “não ofereceria se não fosse bom”. Scarpa ironizou uma das mensagens de Willian reveladas pelo “Fantástico”, na qual o atacante afirmou que agora só “resta orar”.

O jogador do Athletico também alega ter sido vítima da Xland Holding Ltda, onde foi feito o investimento. Bigode afirma que perdeu cerca de R$ 17,5 milhões. Sua esposa e sócia na WLJC, Loisy Coelho, chegou a dizer em áudio que estavam “f… todos juntos”.

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil