Peso-mosca mineiro vence luta dura após quase conseguir nocaute no segundo round. Karol Rosa, Jennifer Maia e Bruno Souza perdem combates por pontos

O card preliminar do UFC Blaydes x Daukaus, neste sábado, em Columbus (EUA), não foi bom para o esquadrão brasileiro. Dos quatro representantes presentes na programação, apenas um saiu vitorioso: o peso-mosca Matheus Nicolau, que bateu o tcheco David Dvorak por decisão unânime dos juízes. Os demais brasileiros – Karol Rosa, Jennifer Maia e Bruno Souza – perderam suas lutas.

Matheus Nicolau encerra sére invicta de Dvorak

O mineiro Matheus Nicolau encerrou a sequência de 16 vitórias do tcheco David Dvorak com um triunfo por decisão unânime dos juízes (triplo 29-28). Foi a quinta vitória consecutiva do peso-mosca brasileiro, que pediu por um adversário no top 5 da categoria em seguida.

Pelo primeiro round, não parecia que Nicolau estava pronto para este salto. Bastante hesitante, o brasileiro circulou pelo perímetro por todo o período. Ele até teve o melhor momento com uma sequência de cruzados, mas Dvorak buscou mais o combate e, por isso, levou a pontuação dos juízes. O públicou vaiou os dois lutadores ao final do round.

Matheus foi entrando na luta aos poucos no segundo round. Até que um cruzado de esquerda pegou na tampa da cabeça e levou Dvorak a knockdown. O mineiro pulou sobre o adversário e o abalou com cotoveladas, mas não houve tempo para o nocaute. O tcheco ainda estava grogue no início do último round, mas Nicolau foi cauteloso e preferiu golpear e circular. Na reta final, o brasileiro arriscou uma queda e caiu por baixo, mas surpreendeu com chaves de panturrilha e calcanhar. Dvorak escapou e terminou por cima, mas não fez o suficiente para roubar a vitória.

Matheus Nicolau (dir.) acerta um direto de direita em David Dvorak (esq.) — Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

Karol Rosa é derrotada por McMann

A capixaba Karol Rosa viu sua série de seis vitórias consecutivas encerrada pela americana Sara McMann. A nona colocada do ranking peso-galo deu uma aula de wrestling e controle posicional na luta agarrada rumo a uma vitória por decisão unânime (triplo 29-28), seu segundo triunfo nas últimas três lutas.


Karol Rosa (esq.) leva um cruzado de Sara McMann (dir.) — Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

Nos dois primeiros rounds, Rosa esteve hesitante em atacar, temerosa do wrestling de alto nível da lutadora americana. E esse receio se justificou: McMann a derrubou logo nos dois primeiros minutos em ambos os assaltos. No primeiro, ameaçou uma americana (posição que força o ombro), mas Rosa se liberou da posição. No segundo, pegou as costas e quase levou o braço da brasileira para casa.

Atrás por dois rounds a zero, Karol prometeu ao treinador Gilliard Paraná “ir para a porrada” no round final. E ela cumpriu, entrando com uma joelhada voadora e cruzados abertos logo de cara. McMann aproveitou o excesso de vontade e derrubou a brasileira mais uma vez. Desta vez, porém, Rosa conseguiu se levantar e, após sofrer outra queda, surpreendeu a americana com um harai-goshi. Por cima pela primeira vez na luta, tentou mergulhar com cruzados de cima para baixo e bater no ground and pound, mas McMann se defendeu eficientemente e evitou a reação da capixaba.

Manon Fiorot, a matadora de brasileiras


Manon Fiorot (esq.) acerta um chute em Jennifer Maia (dir.) — Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

A francesa Manon Fiorot enfileirou a terceira brasileira consecutiva ao bater Jennifer Maia por decisão unânime (triplo 30-27). Depois de vencer Tabatha Ricci e Mayra Sheetara, “The Beast” mostrou que é boa de verdade ao bater a quarta colocada do ranking peso-mosca.

Apesar de ter recebido a luta com cerca de um mês de antecedência, substituindo a lesionada Jessica Eye, Maia vendeu caro a derrota. Andou para frente o tempo todo e acertou boas caneladas altas no primeiro e no segundo round. Contudo, Fiorot controlou a distância por quase toda a luta com pontapés no corpo e nas pernas, além de conectar bons diretos e cotoveladas de encontro. A francesa ainda mostrou um lado ainda inédito de seu jogo com boas quedas no judô, incluindo um harai-goshi digno de ippon no segundo round.

Bruno Souza perde a segunda no UFC

Luis Saldaña (esq.) esquiva um direto de Bruno Souza (dir.) no UFC Columbus — Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

O lutador pernambucano Bruno Souza sofreu sua segunda derrota consecutiva no UFC. Desta vez, o algoz foi o americano Luis Saldaña, que venceu por decisão unânime dos juízes. O lutador da casa usou bem sua vantagem de envergadura para manter o brasileiro à distância e contragolpear seus ataques.

Acostumado a ser o contragolpeador, Bruno foi o agressor por todo o combate, andando para frente e apostando muito no direto de direita. Saldaña usou esse momento do adversário a seu favor e conseguiu duas quedas no primeiro round. Ele também derrubou o brasileiro no segundo assalto e ensaiou um triângulo invertido, mas Souza escapou e acertou mais golpes no período. No terceiro e último round, Saldaña deu um show de esquivas e contragolpes, o que lhe garantiu a vitória.

UFC Blaydes x Daukaus
19 de março de 2022, em Ohio (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-pesado: Curtis Blaydes x Chris Daukaus
Peso-mosca: Joanne Wood x Alexa Grasso
Peso-meio-médio: Matt Brown x Bryan Barberena
Peso-mosca: Askar Askarov x Kai Kara-France
Peso-meio-médio: Neil Magny x Max Griffin
Mark Diakiese venceu Viacheslav Borshchev por decisão unânime (triplo 30-27)
CARD PRELIMINAR
Sara McMann venceu Karol Rosa por decisão unânime (triplo 29-28)
Chris Gutierrez venceu Danaa Batgerel por nocaute técnico aos 2min34s do R2
Aliaskhab Khizriev venceu Denis Tiuliulin por finalização a 1min58s do R2
Manon Fiorot venceu Jennifer Maia por decisão unânime (triplo 30-27)
Matheus Nicolau venceu David Dvorak por decisão unânime (triplo 29-28)
Luis Saldaña venceu Bruno Souza por decisão unânime (triplo 29-28)