Cantor falou sobre os mandados de busca e apreensão que recebeu na última terça-feira: ‘Operação invasiva e constrangedora’

Rio – Filipe Ret voltou a usar as redes sociais para comentar a operação da Polícia Civil que cumpriu mandados de busca e apreensão em cinco endereços do rapper, na última terça-feira. Em postagem no Instagram, o cantor de 37 anos desabafou sobre a postura dos agentes que o conduziram à Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio, onde foi autuado por porte de drogas para uso pessoal ao ser flagrado com substâncias ilícitas.

Filipe Ret Foto: Reprodução/Instagram/Steff Lima

“Sou um artista (que sofre pressões, dificuldades e desgastes como em qualquer outra profissão) de mentalidade e visão de mundo libertárias. Meu maior privilégio foi ter uma educação libertadora e aprender a respeitar quem pensa diferente de mim”, começou o artista, na legenda da postagem.

Em seguida, ele continuou relembrando sua experiência com passagens pela polícia: “Já sofri muita covardia policial (estando errado e estando certo). Covardes existem em qualquer profissão. Mas se tratando da minha operação em especifico, mesmo que ela tenha sido invasiva e contrangedora, os policiais foram 100% profissionais”, elogiou Ret.

“Mesmo que minha ideologia seja frontalmente contra a natureza da DRE (Delegacia de Repressão a Entorpecentes), eu vi todos os policiais (incluindo mulheres) seguindo seus propósitos assim como eu sigo o meu (por mais provocativo que ele possa parecer, às vezes). Posso discordar da sua visão de mundo mas lutarei pelo seu direito de dizê-la (a não ser que ela condene a minha liberdade de dizer a minha)”, completou ele.

Entenda

Filipe Ret é investigado pela Polícia Civil por causa da suposta distribuição de cigarros de maconha em uma festa que o cantor realizou há cerca de um mês, em uma casa de shows na Zona Sul do Rio. Na última terça-feira, agentes da DRE cumpriram mandados de busca e apreensão em cinco endereços do rapper, incluindo um apartamento no bairro do Flamengo. Na residência, a equipe apreendeu maconha e material para enrolar cigarros. A quantidade, contudo, não foi informada.

Fonte: O Dia