Rússia Confirma Morte de Yevgeny Prigozhin, Líder do Grupo Mercenário Wagner, Após Teste de DNA

Fundador de Organização Paramilitar Torna-se Desafeto de Putin ao Tentar Golpe de Estado em Junho

No desdobramento do trágico acidente aéreo que vitimou dez pessoas nos arredores de Moscou na última quarta-feira (23), o Comitê de Investigação russo, responsável por esclarecer as circunstâncias do evento, divulgou uma confirmação crucial: Yevgeny Prigozhin, líder do grupo paramilitar Wagner, está entre os que perderam a vida.

O grupo Wagner, uma força paramilitar conhecida por sua proximidade com a Rússia, perdeu seu líder. O chefe da organização mercenária, Yevgeny Prigozhin, estava em um avião particular que caiu na região de Tver, ao norte de Moscou, na Rússia, e matou todas as pessoas a bordo Foto: Handout / Telegram / @ConcordGroup_Official / AFP – 25.05.2023

Dentre as vítimas, destaca-se Dmitry Utkin, o braço direito de Prigozhin, que desempenhou um papel essencial na fundação da milícia. Essa descoberta emerge após uma meticulosa análise genética dos restos mortais recuperados do avião sinistrado.

O desfecho dos exames de “análise genético-molecular” proporcionou clareza às identidades das dez vítimas cujos corpos foram recuperados. O Comitê de Investigação afirmou que as identidades “correspondem à lista” de passageiros e tripulantes registrados na ficha de voo do avião acidentado, incluindo a confirmação da presença de Prigozhin.

O jato particular envolvido na tragédia colidiu com o solo nos arredores de Moscou apenas dois meses após uma tentativa fracassada de golpe ao governo de Vladimir Putin. Este motim, classificado pelo presidente russo como uma traição “nas costas”, suscitou tensões, embora Prigozhin tenha sido posteriormente visto no Kremlin.

No que diz respeito às causas do acidente, diversas nações ocidentais e opositores de Putin insinuaram que o Kremlin poderia estar implicado na queda da aeronave. No entanto, o governo russo negou vigorosamente essas alegações e Putin assegurou uma investigação minuciosa e abrangente.

Até o momento, os investigadores russos evitaram propor quaisquer hipóteses sobre as circunstâncias que levaram ao acidente, deixando o mistério em aberto.

Yevgeny Prigozhin e o Motim

Aos 62 anos, Yevgeny Prigozhin, fundador do grupo paramilitar Wagner, liderou um tumulto que teve como alvo os principais comandantes do Exército da Rússia entre 23 e 24 de junho. Esta tentativa de golpe foi descrita por Vladimir Putin como um ato que poderia desencadear uma guerra civil no país.

Após negociações, o motim chegou a um acordo aparente com o Kremlin, determinando que Prigozhin se mudaria para Belarus, uma nação vizinha e aliada da Rússia, a fim de evitar o conflito. No entanto, Prigozhin conseguiu transitar livremente pela Rússia em diversas ocasiões, desconsiderando o acordo.

O motim capitaneado por Prigozhin marcou a primeira insurreição significativa na Rússia desde o início do conflito na Chechênia décadas atrás. Durante uma ação organizada e veloz, os combatentes do grupo Wagner se armaram e passaram a controlar as ruas e avenidas de Rostov-on-Don, uma cidade de mais de 1 milhão de habitantes próxima à fronteira com a Ucrânia.

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil