Share

Brasil pode convocar neste domingo Conselho da ONU em caráter de emergência

O governo brasileiro busca a convocação urgente do Conselho de Segurança da ONU diante da escalada do conflito em Gaza.


Mulher palestina com seus filhos, feridos em bombardeio, no hospital Shifa hospital na cidade de Gaza Imagem: Mohammed Al-Masri – 23.out.23/Reuters

O governo brasileiro, em resposta ao pedido dos Emirados Árabes, está atualmente em consultas para convocar uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, devido à nova fase do conflito em Gaza. Essa iniciativa visa abordar a situação crítica na região, que tem sido denominada pela ONU como um “inferno na Terra”. Além disso, a ONU afirma que Israel está deliberadamente impedindo a entrega de ajuda humanitária às vítimas.

Em um contexto marcado pela crescente pressão internacional pela busca de uma trégua no conflito, a Assembleia Geral da ONU aprovou, por ampla maioria, uma resolução que solicita uma pausa nas hostilidades. Contudo, vale destacar que os Estados Unidos se isolaram ao serem a única grande potência a votar contra a proposta, revelando uma divisão na comunidade internacional.



Diplomatas que acompanham a situação apontam que a convocação de uma nova resolução durante a reunião de emergência do Conselho de Segurança é improvável devido à urgência da situação. O principal objetivo dessa reunião seria atualizar os membros do Conselho sobre os eventos mais recentes em Gaza, especialmente após Israel iniciar uma nova fase de ataques. Além disso, governos de diversas nações aproveitarão a oportunidade para denunciar a grave situação humanitária na região.

No sábado, o secretário-geral da ONU, António Guterres, saudou a aprovação da resolução na Assembleia Geral, enfatizando o crescente consenso internacional em torno da necessidade de uma pausa humanitária para permitir a evacuação de civis e a entrega de ajuda em Gaza. Entretanto, Guterres lamentou que a aprovação tenha sido seguida por uma escalada sem precedentes de bombardeios por parte de Israel, que prejudicou os objetivos humanitários.

Volker Türk, chefe da ONU para Direitos Humanos, também condenou os ataques das últimas horas, destacando que os ataques israelenses à infraestrutura de telecomunicações deixaram os habitantes de Gaza isolados do mundo exterior, dificultando a localização de feridos e o acesso à ajuda humanitária.

Neste cenário crítico, Phillipe Lazzarini, chefe da agência da ONU para Refugiados Palestinos (UNRWA), enviou uma carta aos funcionários da UNRWA em Gaza, demonstrando preocupação com a falta de comunicação e o sofrimento da população local. Ele enfatizou o compromisso da UNRWA em fornecer assistência humanitária, apesar dos desafios.

Leia a carta completa:

Prezados colegas em Gaza,

Espero sinceramente que esta mensagem chegue até vocês e que respondam em breve para me dizer que estão todos bem. Toda a família UNRWA, inclusive eu, está profundamente preocupada com vocês, pois a maioria dos canais de comunicação foi cortada em Gaza desde a noite passada. Só consegui entrar em contato com alguns colegas que estão na base da UNRWA em Rafah por meio de comunicação via telefone via satélite. No entanto, continuo sem contato com a grande maioria da minha equipe na Faixa de Gaza, o que me deixa imensamente preocupado com os colegas e suas famílias.

Estou sempre torcendo para que esse inferno na Terra acabe logo e que vocês e suas famílias estejam em segurança. Tenho a esperança de que em breve os verei e os ouvirei quando me contarem sobre a dor pela qual todos passaram. Tento afastar o pensamento de que já perdemos 53 colegas e que muitos de vocês perderam parentes e entes queridos. Que todos eles descansem em paz.

O blecaute nas comunicações é mais uma ação tomada para tentar impedir a resposta humanitária aos civis da Faixa de Gaza. Mas posso assegurar-lhes que essa ação não nos desencorajará. Nossa determinação permanece inabalável. Continuaremos a cumprir nosso dever humanitário, mesmo diante desses desafios.

Enquanto isso, o mundo está se unindo em torno da necessidade de pôr um fim a essa catástrofe. Ontem, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução, com apoio esmagador, que exige uma trégua humanitária imediata, duradoura e sustentada, entre outras disposições para ajudar o povo da Faixa de Gaza. Minha equipe e eu continuaremos nossos compromissos ininterruptos com todos os principais atores para garantir que essa posição quase universal se traduza em progresso tangível no terreno.

Estou determinado a entrar na Faixa de Gaza e me juntar a vocês o mais rápido possível, e minha equipe está envolvida em negociações ininterruptas para facilitar isso. A UNRWA continua na vanguarda da proteção e ajuda aos civis em toda a Faixa de Gaza. Eu quis dizer o que disse ao mundo com orgulho durante a coletiva de imprensa de ontem: vocês são o rosto da humanidade durante uma de suas horas mais sombrias.

Com respeito e solidariedade.

Atenciosamente,

Phillipe Lazzarini

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil