sex. abr 19th, 2024

Remodelação glútea: procedimento exige cuidados

By DINO fev13,2023

Todos os anos, são realizados cerca de 1,5 milhão de procedimentos estéticos no Brasil, de acordo com a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica). Em 2020, ocorreram cerca de 1,3 milhão de cirurgias, mesmo em meio à pandemia de Covid-19. Nesse ano, o Brasil foi o segundo país em número de procedimentos em todo o mundo, ficando atrás apenas dos EUA, de acordo com um balanço da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica.

Dentre os procedimentos mais buscados, ganha destaque a chamada remodelação glútea. É o que afirma a Dra. Tatiana Fagnani – médica pós-graduada em dermatologia e medicina estética pelo Isbrae (Instituto Brasileiro de Ensino). De acordo com a médica, a busca por procedimentos para aumentar o volume, corrigir assimetrias, tratar celulites, flacidez e deformidades nos glúteos aumenta a cada dia. 

Além de atuar na modalidade, a Dra. Tatiana Fagnani desenvolveu um curso de aprendizado teórico e prático para o desenvolvimento profissional de médicos na área. Ela destaca que a remodelação glútea definitiva é um procedimento seguro e eficaz para aumentar o volume e corrigir assimetrias dos glúteos. 



“A metodologia de remodelação glútea avançada e definitiva é a forma mais segura de harmonização dos glúteos, segundo estudo científico publicado. Utilizamos no tratamento de remodelação glútea um planejamento que reúne técnicas amplamente conhecidas e documentadas”, diz ela.

Segundo a Dra. Tatiana Fagnani, uma das dúvidas mais recorrentes diz respeito às substâncias utilizadas para a remodelação glútea. “Não é incomum que falsos profissionais de saúde utilizem produtos irregulares ou proibidos, como silicone industrial e hidrogel, além de instrumental inadequado, sem formação adequada e em locais precários”, afirma.

Na visão da médica, o PMMA (polimetilmetacrilato) – substância utilizada na medicina há mais de oitenta anos em áreas como cardiologistas, neurologia, odontologia, oftalmologia e ortopedia – é um dos produtos mais seguros e eficazes e traz vantagens tanto para o paciente como para o médico. 

“A literatura médica e os artigos científicos são claros: a remodelação glútea com PMMA é o método mais seguro e recomendado para volumização dos glúteos. Mais seguro, inclusive, do que prótese de silicone e lipoenxertia. Estudos comprovaram essa segurança”, afirma. 

A médica destaca que o PMMA, além de possuir o registro da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no Brasil, tem aprovação do FDA nos EUA para uso estético reparador desde 2006, sob o nome comercial de Bellafill.

“O FDA publicou os resultados de uma série de estudos que comprovam que o PMMA é seguro para preenchimentos – o que se une a uma série de artigos científicos que têm revolucionado a área”, reporta. Segundo o órgão, o índice de complicações apresentadas por preenchimentos com a substância é inferior a 1%. No total, foram analisados 3.782 casos de efeitos adversos registrados no procedimento entre 1993 e 2014 envolvendo os quatro preenchedores mais tradicionais do mercado.

“Assim como para qualquer procedimento estético, é preciso seguir determinados cuidados antes de realizar a remodelação glútea”, ressalta a médica. A seguir, ela destaca os quatro elementos que devem ser observados a fim de garantir um procedimento seguro:

1 – Profissional

“Consulte o CRM (Conselho Regional de Medicina) para verificar se o profissional está com o registro ativo e pode atuar no seu estado. Pesquise em redes sociais e ferramentas de busca e, diante de uma consulta, observe se o médico é capaz de esclarecer todas as suas dúvidas”, orienta. “Peça que o médico apresente resultados, de preferência de pacientes com o corpo – e o glúteo – parecido com o seu e verifique o resultado final. E lembre-se que a decisão é sua. Por isso, não aceite pressões e faça [o procedimento] no seu tempo”, diz.

2 – Instrumental

Segundo a médica, um dos detalhes mais importantes do procedimento é não haver cortes. “O procedimento não é feito com agulhas, mas com microcânulas – que são parecidas com as agulhas, mas têm ponta arredondada e não furam vasos ou cortam”, explica. “Então, certifique-se de que o profissional que irá realizar a sua remodelação glútea use, de fato, as microcânulas”, complementa.

3 – Material

Dra. Tatiana Fagnani ressalta que o produto utilizado no procedimento estético deve ser registrado na Anvisa: “O PMMA é permitido e aprovado pela entidade para procedimentos estéticos e de correção, desde que usado por médicos capacitados e em quantidades adequadas”. Ela reafirma que dezenas de pesquisas – publicadas em revistas científicas e médicas no mundo todo – mostram que o PMMA é considerado o produto mais seguro para o aumento de glúteos, inclusive mais seguro do que lipoenxertia e próteses de silicone.

4 – Local

Por fim, a médica destaca que o local de aplicação da remodelação glútea deve ser uma clínica médica regulamentada, limpa e com todos os alvarás necessários.

“Jamais faça procedimentos como a remodelação glútea em casas, quintais, hotéis, salões de beleza ou semelhantes”, adverte a Dra. Tatiana Fagnani.

Para mais informações, basta acessar: https://www.vipmeetingfordoctors.com/

Veja também: