Joe Kiani faz discurso de abertura na 5a Cúpula Ministerial Global Anual sobre Segurança do Paciente

Em um discurso de abertura na Quinta Cúpula Ministerial Global sobre Segurança do Paciente, Joe Kiani, fundador da Patient Safety Movement Foundation (PSMF), pediu que os hospitais de todo o mundo apresentem maior transparência nos informes de erros médicos e mortes evitáveis. Ele também reforçou a importância de incentivos alinhados para que provedores sejam pagos com base na qualidade do atendimento e não na quantidade e na adoção de Práticas acionáveis baseadas em evidências que tratam das causas conhecidas de danos.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20230227005767/pt/

Joe Kiani Provides Keynote at the 5th Annual Global Ministerial Summit on Patient Safety (Photo: Business Wire)

Joe Kiani Provides Keynote at the 5th Annual Global Ministerial Summit on Patient Safety (Photo: Business Wire)

“Não precisamos apenas ter acessoàassistência médica, tem que ser segura, tem que ser digna”, disse Kiani. “Para chegarmos lá, precisamos criar ações autogovernadas. Se pudermos concordar com o fato de que os erros médicos podem ser evitados por meio de práticas com base em evidências, eles poderão ser rastreados por todos os hospitais. E poderiam relatar todos os anos, todos os trimestres, publicamente em seu site, o número de danos causados por cada um desses erros.”

A transparência, argumentou Kiani, é essencial porque revelar publicamente os dados sobre erros médicos evitáveis ajuda a acelerar o ritmo da mudança.

Em países onde a assistência médica é pelo menos parcialmente subsidiada pelo governo, Kiani sugeriu a introdução de grandes incentivos financeiros para que os hospitais sejam mais transparentes e ativos quantoàsegurança do paciente, implementando práticas com base em evidências para prevenir erros.

“Em meu país, metade da assistência médica é paga pelo governo. O Medicare e o Medicaid pagam por mais da metade dos cuidados de saúde oferecidos em cada hospital”, disse ele. “Portanto, eles poderiam determinar que para obter esse reembolso, desejam transparência, e vincularão seu desempenho ao pagamento. Desse modo, se os hospitais tiverem zero erros médicos, zero mortes evitáveis, não precisam fazer nada. Mas, se alguém for prejudicado e essas práticas com base em evidências não estiverem em vigor, eles não deverão ser pagos. Isso se torna a maneira pela qual todos os conselhos de administração de todos os hospitais esperaram que sua administração implemente práticas com base em evidências.”

Como um exemplo de como isso pode funcionar, Kiani citou seu tempo no conselho de diretores do Children’s Hospital of Orange County (CHOC), Califórnia. “Quando comecei no CHOC, fiquei feliz de ver que eles estavam com a atenção voltada para a qualidade”, ele disse. “Eles estavam olhando para os erros médicos, mas se comparavam com seus colegas, e se tivessem uma taxa de erro menor do que os outros, isso era considerado um trabalho bem-feito. E eu os confrontei e perguntei se a meta não deveria ser zero. Para seu crédito, eles aceitaram o desafio e foram um passo além, vinculando os bônus do corpo docenteàmeta de zero. Algo incrível ocorreu na próxima reunião, passamos de esperar pela taxa zero, a planejar para a taxa zero.”

“Eu quero que todos vocês ajam por bondade!”, concluiu Joe Kiani.

A Cúpula Ministerial Global sobre Segurança do Paciente é um evento anual que reúne ministros, representantes de alto nível e especialistas do mundo inteiro. A cúpula deste ano foi organizada pelo presidente Alain Berset e os ilustres palestrantes incluídos: Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral, Organização Mundial da Saúde; Professor Didier Pittet, Professor de Medicina da Universidade de Genebra; Dr. Anthony Staines, diretor do Programa de Segurança do Paciente da Vaud Hospital Federation na Suíça; Professor Dr. Phil Lauren Clark, Professor de Ciência de Implementação em Cuidados de Saúde; e o Professor Sir Liam Donaldson, Enviado de Segurança do Paciente da OMS.

Este ano a Patient Safety Movement Foundation vai realizar a sua 10a Cúpula Mundial Anual sobre Segurança do Paciente, Ciência e Tecnologia nos dias 1e 2de junho em Newport Beach, Califórnia.

SOBRE A PATIENT SAFETY MOVEMENT FOUNDATION

Em 2012, Joe Kiani fundou a organização sem fins lucrativos Patient Safety Movement Foundation (PSMF) para eliminar erros médicos evitáveis em hospitais. Sua equipe trabalhou com especialistas em segurança do paciente do mundo inteiro para criar Práticas acionáveis com base em evidências (AEBP) que tratam dos principais desafios. O AEBP está disponível online gratuitamente para os hospitais. Os hospitais são incentivados a assumir um compromisso formal com ZERO mortes evitáveis, e as empresas de tecnologia de saúde são solicitadas a assinar o Open Data Pledge para compartilhar seus dados para que algoritmos preditivos, que possam identificar erros antes que se tornem fatais, possam ser desenvolvidos. A Cúpula Mundial de Segurança do Paciente, Ciência e Tecnologia anual da Fundação reúne todas as partes interessadas, incluindo pacientes, profissionais de saúde, empresas de tecnologia médica, empregadores do governo e pagadores privados. O PSMF foi estabelecido com o apoio da Masimo Foundation for Ethics, Innovation, and Competition in Healthcare. Para mais informações, acesse psmf.org.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Patient Safety Movement Foundation

Irene Mulonni, irene@mulonni.com | (858) 859-7001

Fonte: BUSINESS WIRE

Google Search Nitro News Brasil