Share

Especialista alerta para importância do seguro-viagem na proteção do consumidor

Com o abrandamento da pandemia, o setor de turismo e intercâmbio está preparado para retomar o crescimento em 2023. De acordo com a Embratur, a concessão de vistos a turistas estrangeiros teve um aumento significativo nos últimos meses, demonstrando um grande interesse pelo Brasil, como destino turístico. No mês de novembro de 2022 foram concedidos quase 80 mil vistos, um número que representa um crescimento de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Segundo a agência de viagens Decolar, as tendências indicam um aumento na procura por destinos nacionais, especialmente aqueles que oferecem natureza, ecoturismo e atividades ao ar livre. A busca por viagens de longa duração e intercâmbio também deve crescer, com a retomada das aulas presenciais e o desejo de experiências internacionais mais imersivas. A tecnologia também deve desempenhar um papel importante no setor, com o aumento da utilização de aplicativos e plataformas online para planejamento e reserva de viagens.

Para a responsável pela área de seguros da Unicred Aliança, Grayce Kelly, fazer uma viagem é uma experiência incrível, seja a trabalho ou a lazer. No entanto, é importante lembrar que imprevistos podem acontecer e isso pode prejudicar a viagem. “Ter um seguro-viagem ajudará a evitar despesas não planejadas, como gastos médicos ou farmacêuticos, que costumam ser bem altos em alguns países. Também será fundamental para garantir o ingresso nos países membros do Tratado de Schengen, onde contratar uma cobertura é obrigatório para a entrada no país. Outro benefício é que estará protegido em diversas situações, como cancelamento ou remarcação da viagem, por questões médicas ou climáticas, ou, ainda, perda de bagagem”, diz a especialista.



O consumidor deve ficar atento aos tipos de seguros e coberturas oferecidas. Por exemplo, existem produtos que oferecem apenas cobertura médica limitada, enquanto outras modalidades cobrem visitas médicas, hospitalizações e medicamentos e podem incluir assistência médica/repatriamento, morte e invalidez e/ou responsabilidade civil.

Outra dica importante é comparar diferentes planos de seguro-viagem. “Existem diversas empresas que oferecem esse modelo de serviço, e cada uma delas tem seus próprios planos e preços. É importante ler atentamente as coberturas oferecidas e verificar se elas atendem às suas necessidades. Alguns planos oferecem cobertura para acompanhamento de menores, em caso de necessidade médica, por exemplo, e outros não”, explica Grayce Kelly.

Google Search Nitro News Brasil