Share

Interatividade impulsiona o aprendizado na sala de aula

Nos últimos anos, a infraestrutura tecnológica e o acesso a recursos digitais em sala de aula têm se tornado preocupações crescentes, De acordo com o Relatório Guia Edutec, ferramenta online que mede o nível de adoção de tecnologia na rede pública de ensino, publicado pelo Centro De Inovação Para a Educação Brasileira (CIEB), grande parte das escolas públicas estão no nível básico nas dimensões de visão, competência e recursos educacionais digitais, e a infraestrutura ainda não superou o nível emergente.

Ainda de acordo com o relatório, grande parte dos gestores respondentes da pesquisa (97%), apoiam os docentes para que utilizem recursos tecnológicos em sala de aula. Nesse panorama, o Estado de São Paulo promoveu políticas que incentivam a interatividade na sala de aula por meio do Kit CMSP. Através dele, foi sugerida a compra de diversos itens para o ambiente escolar. A proposta do kit é apoiar os gestores educacionais na utilização de recursos tecnológicos, para que professores e alunos possam desenvolver as competências previstas no currículo.

Para Jorge Pasqual Silva, Professor do ensino público do Estado de São Paulo, a medida demonstra que o modelo tradicional de ensino, pautado em aulas expositivas e passivas, têm sido gradualmente substituído por práticas pedagógicas que valorizam a interação e a participação ativa dos estudantes. “A introdução de recursos tecnológicos, têm permitido uma abordagem mais dinâmica e interativa no ambiente escolar”, explica Jorge.

Ainda de acordo com o relatório da CIEB, 81% dos gestores de escolas públicas consideram que o uso das tecnologias digitais impactam os processos de ensino e de aprendizagem, podendo melhorar a qualidade e equidade em sala de aula. Dessa forma, a combinação de tecnologias avançadas e metodologias pedagógicas contemporâneas têm aberto possibilidades e maior engajamento entre os alunos.

Ensino inclusivo

Outro aspecto do uso de recursos tecnológicos é a personalização do ensino. Com a utilização de tecnologias adaptativas e plataformas de aprendizagem online, os educadores podem oferecer conteúdos e atividades de acordo com o ritmo e as necessidades individuais de cada aluno. “Com auxílio da tecnologia, o professor consegue tornar uma aula para um deficiente auditivo ou visual, viável. Através dos recursos em libras ou sonoros nos quais alguns softwares oferecem, contribuindo para um ensino mais inclusivo”, comenta Rodrigo Xavier, Diretor operacional da empresa Show de Imagem, responsável por mais de 5 mil instalações de equipamentos audiovisuais no estado de São Paulo e região.

Segundo Thomas Wayne Mark, Diretor operacional da Multinacional Unionboard Interactive Frames Touch, empresa inglesa desenvolvedora de soluções audiovisuais, a interatividade tecnológica oferece uma série de usabilidades, como as molduras interativas touchscreen, que podem ser utilizadas em conjunto a qualquer TV pré-existente nas instituições de ensino, transformando-a em uma  lousa digital.

“A interatividade na sala de aula tem se mostrado uma prática promissora no cenário educacional brasileiro. O desafio agora é continuar investindo em tecnologias educacionais e capacitando os professores para que possam explorar todo o potencial da interatividade”, finaliza o Diretor da Unionboard.

Para mais informações, basta acessar o canal no YouTube.

Website: http//:www.showdeimagem.com.br

 

Google Search Nitro News Brasil