Share

Fontes de energia renovável são realidade com potencial de expansão no Brasil

A busca por fontes de energia alternativas aos combustíveis fósseis está na ordem do dia em todo o mundo e o Brasil pode se tornar líder nesse processo, por ter uma das matrizes energéticas mais diversas do planeta. Além de políticas públicas voltadas à essa temática, o país conta com empresas que há anos pensam em fontes alternativas ao petróleo, como o Grupo BBF (Brasil BioFuels), produtor de óleo de palma da América Latina.

O óleo de palma, também conhecido como dendê, tem potencial de produção de óleo por hectare dez vezes superior à soja e estrutura química idêntica à dos combustíveis fósseis na cadeia de carbono, o que o torna altamente eficiente para produção dos biocombustíveis de segunda geração, como o Combustível Sustentável de Aviação (SAF) e o Diesel Verde (RD).

Há 15 anos, o Grupo BBF cultiva a palma em regiões degradadas da Amazônia e utiliza o óleo de palma, óleo vegetal mais consumido no mundo, para a produção de biocombustíveis e geração de energia elétrica limpa para regiões isoladas.

“A empresa foi fundada com o propósito de mudar a matriz energética dos Sistemas Isolados no Norte do Brasil, criando empregos, gerando renda e reduzindo o custo da eletricidade para a população, a partir de uma matriz sustentável e limpa, substituindo o uso de óleo diesel fóssil por biodiesel feito a partir de óleo de palma. Com o passar dos anos, foi possível estender a atuação para uma missão ainda maior, de contribuir para a transição energética do País, produzindo biocombustíveis também para outros fins”, afirma Milton Steagall, CEO do Grupo BBF.

Atualmente, o Grupo BBF possui mais de 75 mil hectares cultivados com a palma de óleo nos estados do Pará e Roraima. A companhia tem capacidade de produzir por ano mais de 200 mil toneladas de óleo de palma. A empresa gera mais de 6 mil empregos diretos e 18 mil indiretos, além de incentivar mais de 450 agricultores familiares no estado do Pará. “Dizemos que o Grupo BBF atua da semente ao megawatt”, afirma o executivo.

Brasil pode ser líder na transição energética

O Brasil tem o potencial de cultivar a palma, de forma totalmente sustentável, em 31 milhões de hectares de áreas degradadas na região amazônica, segundo robusto trabalho realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A legislação brasileira para o cultivo da palma conta com o Decreto 7.172, estabelecido em 2010 pelo Governo Federal, e é considerada a mais rígida do mundo neste setor, pois permite que a palma seja cultivada apenas em áreas que foram desmatadas na região amazônica até dezembro de 2007.

“Apesar de seu cultivo ser permitido em toda essa área, sem desmatar uma árvore sequer de floresta, hoje, a palma é plantada em apenas cerca de 300 mil hectares no Brasil, aproximadamente. Com os 31 milhões de hectares disponíveis, temos a oportunidade de gerar 186 bilhões de litros de óleo de palma por ano, para utilização no desenvolvimento de biocombustível para atender, inclusive, o setor aéreo. Isso é mais do que é extraído pela Petrobras no nosso pré-sal, por isso, digo que temos um verdadeiro “pré-sal verde” no nosso país”, afirma Steagall.

A partir de 2026, o Grupo BBF vai iniciar o fornecimento de SAF (Combustível Sustentável de Aviação) e Diesel Verde para a Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) – em contrato de offtaker. A matéria-prima para os biocombustíveis avançados será o óleo de palma cultivado pelo Grupo BBF na região Amazônica. Já o refino será feito na primeira biorrefinaria do País a produzir os inéditos biocombustíveis em escala industrial. Devem ser investidos mais de R$ 2,2 bilhões na nova planta, que terá a capacidade de produzir cerca de 500 milhões de litros anualmente de SAF e Diesel Verde.

Além da produção de óleo a partir do fruto, o cultivo da palma gera toneladas de biomassa, que hoje são usadas para recomposição orgânica dos próprios palmares. Mas segundo Steagall, também é possível utilizar essa abundante biomassa para a geração de energia renovável nos sistemas isolados.

Sobre o Grupo BBF

O Grupo BBF (Brasil BioFuels), empresa brasileira fundada em 2008, é a maior produtora de óleo de palma da América Latina, com área cultivada superior a 75 mil hectares e capacidade de produção de 200 mil toneladas de óleo por ano. A empresa é pioneira na criação de soluções sustentáveis para a geração de energia renovável nos sistemas isolados, com usinas termelétricas movidas a biocombustíveis produzidos na região. Sua atividade agrícola recupera áreas que foram degradadas até 2007 na Amazônia, seguindo o Zoneamento Agroecológico da Palma de Óleo (ZAE), aprovado pelo Decreto 7.172 do Governo Federal, de 7 de maio de 2010.

O Grupo BBF criou um modelo de negócio integrado em que atua do início ao fim da cadeia de valor – desde o cultivo sustentável da palma de óleo, extração do óleo bruto, produção de biocombustíveis, biotecnologia e geração de energia renovável – com ativos totalizando cerca de R$ 2,2 bilhões e atividades gerando cerca de 6 mil empregos diretos na região Norte do Brasil. As operações do Grupo BBF estão situadas nos estados do Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima e Pará, compreendendo 38 usinas termelétricas (25 em operação e 13 em implementação), 3 unidades de esmagamento de palma de óleo, uma extrusora de soja e uma indústria de biodiesel.

A empresa está expandindo sua oferta de biocombustíveis e firmou parcerias para produção de Combustível Sustentável de Aviação (SAF) e Diesel Verde. Os novos combustíveis sustentáveis serão produzidos a partir de 2026 na primeira Biorrefinaria do país, em fase de construção na Zona Franca de Manaus.

Google Search Nitro News Brasil