Goiânia dá mais um passo rumo à Cidade Inteligente

Goiânia está avançando para se tornar uma cidade mais inteligente. A capital aprovou, nesta semana, o estudo de viabilidade para a elaboração de uma Parceria Público-Privada (PPP) focada em melhorias na iluminação pública, energia limpa para prédios públicos, câmeras de segurança e internet sem fio gratuita em espaços públicos. Conforme o Diário Oficial do Município, o processo segue para fase de consulta pública até o dia 29 de fevereiro.

O prefeito Rogério Cruz busca, através da PPP, o investimento privado de mais de R$ 400 milhões na cidade. Além disto, deve gerar uma economia mensal de mais de R$ 3 milhões para os cofres públicos municipais.

A proposta é chamada de Projeto Cidade Inteligente e foi elaborada pelo Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades (IPGC). A modelagem foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas, em 2022, como destaque mundial em PPPs. Estima-se que, no longo prazo, o Goiânia Cidade Inteligente pode representar a economia de mais de meio bilhão de reais para a Prefeitura da cidade.

Estudos aprovados

Nos estudos aprovados, a primeira etapa do projeto será a modernização e implementação de um sistema de iluminação pública inteligente. Por meio de tecnologia avançada, com instalação de lâmpadas de LED e telegestão. Essa abordagem aumentará a segurança, reduzirá o consumo de energia e promoverá uma iluminação mais eficiente em toda a cidade.
O modelo em consulta pública também contempla a operação do parque luminotécnico, que tem perspectiva de economia no consumo de energia em mais de 65%. No total, está prevista a modernização de todo o parque de iluminação pública da capital, com a instalação de luz de destaque em 311 pontos distribuídos entre praças públicas, edificações, parques e bosques e monumentos. De acordo com o Secretário de Finanças do município, Vinicius Alves o projeto tem um potencial para diminuir o gasto com a Contribuição de Custeio do Serviço de Iluminação Pública gerando economia, além de uma ampliação dos serviços de forma inteligente.

Para modernizar a infraestrutura em telecomunicações, a modelagem desenvolvida pelo IPGC prevê oferta de internet para 523 edificações públicas, implantação de sistema de videomonitoramento por mais de 1800 câmeras, O projeto também contempla totens para acionamento das forças de segurança e a implantação de pontos de Wi-Fi público em 75 locais, além da implantação do Centro de Controle de Operação (CCO). Além disso, o projeto prevê link dedicado de Internet para todos os prédios públicos, garantindo maior eficiência e estabilidade de conexão no serviço, facilitando o uso da tecnologia em postos de saúde com a telemedicina e, nas escolas, trazendo benefícios à educação.

Também atento à sustentabilidade e economia, o projeto inclui a produção de energia limpa e renovável, com o abastecimento da necessidade energética do município através de usinas fotovoltaicas, como já realizado no Piauí, por exemplo.

“Hoje, Goiânia é a cidade mais relevante do Centro-Oeste brasileiro. Essa relevância geográfica também respalda a necessidade da cidade se atualizar em relação aos contextos urbanos universais atuais. Isso reforça o compromisso da gestão com a inovação, desenvolvimento sustentável e ações que buscam melhorar a qualidade de vida de seus habitantes, tornando-a um exemplo para outras cidades no Brasil e no mundo”, completa o presidente do IPGC.

O projeto parte agora para Consulta Pública a fim de receber contribuições e permitir a participação social em seu processo de estruturação, bem como coletar contribuições formuladas pela sociedade civil com vistas ao seu aperfeiçoamento, também assegurando a sua transparência. As contribuições poderão ser encaminhadas até dia 29 de fevereiro. A Audiência Pública está prevista para ocorrer durante o período da consulta pública.

Google Search Nitro News Brasil