Share

Consultoria avalia mercado de joias masculinas em US$ 6,5 bi

A consultoria Euromonitor International estima em US$ 6,5 bilhões o valor do mercado de joias masculinas, segundo análise de dados mundiais realizada em 2021, a mais recente sobre esse mercado.

O relatório fornecido pela consultoria indica também um aumento de 17% do valor de mercado em comparação a 2020. A taxa anual de crescimento do segmento entre 2015 a 2020 foi avaliada em 3%.

No Brasil, as joias masculinas já chegam a 10% dos produtos oferecidos pelas joalherias, segundo informação divulgada pelo Instituto Brasileiro de Gemas de Metais Preciosos (IBGM).

Para Franco Carvalho, head de marketing da marca de joias Guerreiro, o crescimento do mercado de joias para homens é uma tendência que acompanha uma visão masculina mais liberal sobre a moda. “O segmento ainda tem muito espaço para crescer, visto que os homens estão cada vez mais vaidosos e livres para sair do tradicional”.

Expectativas de consumo de joias masculinas para 2024

Franco lembra que, antigamente, os homens usavam apenas acessórios tradicionais como relógios, aliança ou um anel com brasão familiar. “A diversidade presente na moda atual dá mais liberdade aos homens para diversificarem seus looks e acessórios, o que contribui com esse crescimento”.

O head de marketing destaca que a mudança começou nos anos 70. “Com o movimento hippie e a Tropicália, o Guerreiro passou a produzir peças mais volumosas, que sempre fizeram sucesso entre os homens, como as pulseiras de couro com prata, mix de correntes e anéis mais largos”.

Franco indica que, em sua análise quanto às expectativas do público masculino diante do mercado de joias, “pedras coloridas, mix com várias peças sobrepostas, mistura de materiais, correntes e chokers mais robustas, além de pingentes com e sem gemas” podem ganhar a preferência do consumidor.

Crescimento das vendas on-line

A comercialização de joias no Brasil em plataformas de e-commerce está em crescimento. É o que diz o relatório da Mordor Intelligence, empresa especialista em pesquisa de mercado. 

Em 2020, cerca de 43,3 milhões de pessoas compraram joias no país em plataformas de venda on-line. Esse número passou para 46,3 milhões em 2021, o que representa um aumento de 6,93% dos consumidores via e-commerce.

O mercado brasileiro de joias deve movimentar US$ 2,4 bilhões em 2024, com taxa de crescimento anual de 1,09% até 2028, segundo previsões da plataforma alemã Statista.

Para saber mais, basta acessar: http://www.guerreiro.com/?utm_source=dino&utm_medium=dino&utm_campaign=dino

Google Search Nitro News Brasil