Share

Crise no mar vermelho vem impactando logística mundial

A crise no Mar Vermelho não apenas afeta o transporte local na área marítima, mas também tem um impacto global no transporte marítimo e na cadeia de suprimentos, cujos efeitos em cadeia estão apenas começando a se manifestar. O desvio em torno do Cabo da Boa Esperança aumentou os custos e o tempo de entrega das mercadorias, afetando a capacidade global de transporte marítimo e a disponibilidade de equipamentos em todas as rotas comerciais, incluindo a escassez de contêineres vazios. Em termos de comércio exterior da Ásia, a crise no Mar Vermelho não apenas causou atrasos na rota Ásia-Europa, mas também começou a afetar a capacidade de transporte em outras regiões, com a maior influência indireta sendo nas rotas da Ásia para os Estados Unidos.

Para os portos chineses, devido à diminuição correspondente no envio de mercadorias devido à proximidade do Ano Novo, isso terá um efeito de alívio na cadeia de suprimentos. Em geral, a crise no Mar Vermelho tem sido prolongada, e seu impacto deverá estar em processo de adaptação gradual após ajustes na indústria. Portanto, é altamente provável que não veremos uma situação de pilhas de contêineres vazios como a do ano passado durante o feriado do Ano Novo Chinês.

Segundo Chen Youwei, diretor de transporte marítimo da Robins International Freight em entrevista para o portal China2Brazil, com a chegada da temporada de pico do Ano Novo Chinês e a crise recente no Mar Vermelho, a escassez de contêineres está diminuindo rapidamente, mas ainda consegue atender à demanda atual. Se a crise no Mar Vermelho continuar, os contêineres podem enfrentar escassez temporária devido a desvios de navios ou interrupções nas rotas normais de retorno.



Nessa entrevista, a gerente-geral da empresa de logística multinacional Shanghai Dongqing Express, Liang Yanchang, também comentou sobre como o desvio causado pela situação no Mar Vermelho, houve um aumento nos custos de transporte marítimo e nos atrasos na chegada ao porto, resultando em um prolongamento do ciclo de retorno dos contêineres vazios, o que está levando à rápida redução da disponibilidade de contêineres vazios.

Com a redução do excesso de oferta original devido à situação no Mar Vermelho, é provável um aumento sazonal na demanda após o Ano Novo Chinês. Grandes empresas, como a Maersk, antecipadamente reservaram contêineres vazios para portos chineses. Desde janeiro deste ano, diversas plataformas de comércio eletrônico transfronteiriço da China, como Alibaba.com, AliExpress e TEMU, lançaram o modelo “semi-gerenciado” para auxiliar os comerciantes no gerenciamento do cumprimento logístico. Isso visa melhorar eficiência e garantia no cumprimento de pedidos.

Para o especialista do setor Luis Felipe Campos, “a antecipação de um aumento sazonal na demanda após o Ano Novo Chinês ressalta a importância da previsão e planejamento eficazes na gestão da cadeia de suprimentos. Empresas que conseguem se adaptar rapidamente a mudanças no ambiente operacional e implementar estratégias flexíveis estarão melhor posicionadas para enfrentar desafios e aproveitar oportunidades.” Esse modelo permite que os comerciantes economizem tempo e dinheiro, concentrando-se em pesquisar sua própria cadeia de suprimentos, incluindo a relação custo-benefício do produto e embalagem, tornando seus produtos mais adequados às demandas do mercado. Para os consumidores, a certeza na entrega do produto é um fator crucial.

Google Search Nitro News Brasil