dom. abr 21st, 2024

Confiança do Empresário Industrial permanece estável

By DINO mar25,2024

A confiança na indústria brasileira permaneceu estável no mês de março de 2024, de acordo com os resultados do Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI). Segundo os dados apresentados, tanto as pequenas, médias quanto grandes empresas demonstraram confiança, apesar das variações negativas para médias e grandes empresas, mantendo-se acima da linha dos 50 pontos, indicando confiança no setor. Além disso, segundo o relatório, a confiança foi disseminada por todas as regiões do país e por 25 dos 29 setores considerados.

O estudo também aponta dados entre as regiões do Brasil. Segundo os dados, as variações mais significativas foram observadas no Nordeste e Centro-Oeste, onde houve uma queda de mais de 1,0 ponto na confiança. Esse declínio foi maior na região Nordeste, marcando o segundo mês consecutivo de queda.

No que diz respeito aos setores da indústria, em março de 2024, o relatório informou que 13 dos 29 setores registraram aumento na confiança, enquanto 16 apresentaram queda. O setor de Móveis fez a transição da falta de confiança para a confiança, enquanto o setor de Equipamentos de informática, eletrônicos e ópticos teve o movimento oposto.



No relatório divulgado, nota-se que o setor Farmoquímicos e Farmacêuticos, foi o mais confiante (61,1 pontos) e que o setor de equipamentos de informática, eletrônicos e ópticos foi o menos confiante (49,4 pontos).

José Antônio Valente, diretor da empresa de locação de equipamentos para construção civil Trans Obra, afirmou que é possível observar no estudo publicado que o nível de confiança no setor da construção chegou a 53,8 pontos. Esse número é 0,4 ponto maior que o resultado no mês anterior. José Antônio continuou dizendo que os dados revelados no estudo ressaltam a importância de observar tendências específicas dentro dos setores, como o leve aumento na confiança do setor da construção. “Essa análise detalhada é crucial para entendermos não apenas os movimentos gerais de confiança, mas também as nuances que podem impactar diferentes áreas da indústria. Como especialista no setor de aluguel de andaimes e outros equipamentos, penso que saídas inteligentes como locação de máquinas e equipamentos podem ajudar as empresas a rever estratégias e reduzir custos com o objetivo de aumentar a lucratividade”.

Os resultados apresentados no estudo, mostram que a confiança variou pouco entre os diferentes portes de empresas. Enquanto houve um pequeno avanço de 0,8 ponto nas pequenas empresas, as médias registraram um recuo de 0,5 ponto e as grandes empresas, um recuo de 0,3 ponto, segundo a publicação. No entanto, o estudo revela que todos os portes de empresas mantiveram-se acima da linha divisória de 50 pontos, indicando confiança no ambiente industrial.

Perguntado sobre o assunto, José Antônio afirmou que, apesar do declínio da confiança em algumas regiões e setores específicos, é importante ressaltar que todas as regiões do Brasil permanecem confiantes em março, pois o índice de confiança de todas elas está acima de 50 pontos. “Esse panorama sugere uma estabilidade geral na confiança da indústria brasileira, embora haja variações regionais e setoriais a serem acompanhadas nos próximos meses”.

Veja também: