Itens sustentáveis se destacam entre os brindes corporativos

O mercado de brindes corporativos está em franca expansão em todo o mundo. De acordo com um relatório divulgado pelo Gitnux Marketdata, apenas em 2019, o setor foi avaliado em US$ 318,2 bilhões. A expectativa é que esse número aumente mais de 13% até 2027.

Contudo, em paralelo com esse crescimento, vem outra preocupação: o meio ambiente. Muitos associam os presentes corporativos a uso de materiais como plástico. São copos, squeezes, necessaires e vários outros itens que dificilmente são reciclados, e podem levar até mais de 100 anos para se decompor na natureza.

Por isso, a procura por brindes corporativos mais sustentáveis cresce a cada ano. “A sustentabilidade no mercado de brindes corporativos é crucial para empresas demonstrarem responsabilidade ambiental, melhorarem sua reputação, atrair consumidores conscientes e diferenciarem suas marcas”, explica Juana Nascimento, CEO da Drika Brindes.

Sai o plástico, entra a sustentabilidade

Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), o Brasil gerou mais de 13,7 milhões de toneladas de resíduos plásticos em 2022. Isso dá uma média de 64 quilos de lixo por pessoa ao longo do ano. 

Um outro estudo, realizado pela Blue Keepers, projeto ligado ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), revelou que cada brasileiro pode ser responsável por poluir os mares com 16kg de plásticos por ano. 

Diante desse cenário, investir em brindes corporativos sustentáveis se mostra mais do que uma forma de presentear clientes, consumidores e parceiros como um reforço de marca – é uma verdadeira prática de governança ambiental, social e corporativa.

Dentre as diferentes opções de presentes corporativos sustentáveis existentes no mercado, sem dúvidas as sacolas retornáveis e bolsas de algodão são uma das mais conhecidas. Contudo, o mercado vai além.

No lugar dos tradicionais copos de plástico, hoje em dia já existem as opções feitas em fibra de arroz, por exemplo. O bambu se faz presente em itens como canetas e até mesmo caixas de som. E as tradicionais agendas ganham versões ecológicas com capas feitas em garrafas pet recicladas.

Para Juana Nascimento, ao oferecer produtos com menor impacto ambiental, as empresas não contribuem somente para a preservação do meio ambiente. “Elas também se posicionam como líderes em inovação e responsabilidade social, construindo um futuro mais sustentável para todos e incentivando seus clientes e colaboradores a fazerem o mesmo”.

Para mais informações, basta acessar: http://www.drika.com.br

Google Search Nitro News Brasil