Que horas a mina da Braskem deve afundar em Maceió? O que fazer e quais os riscos?

Defesa Civil alerta para “risco iminente” de afundamento do solo no bairro de Mutange.

Descubra os riscos iminentes do afundamento da mina da Braskem em Maceió. A situação crítica no bairro de Mutange leva à evacuação, enquanto a Defesa Civil alerta para um possível colapso. Entenda as origens do problema desde a década de 1970 e saiba sobre as evacuações em massa que transformaram bairros em fantasmas. Conheça os esforços da Braskem para estabilizar as minas e os impactos potenciais do colapso. A avaliação contínua pelo Serviço Geológico do Brasil e a decisão judicial de retirar famílias destacam a gravidade da situação em Maceió.

A possibilidade de colapso de uma das minas da Braskem, empresa responsável pela mineração que afetou cinco bairros de Maceió, gerou evacuações e preocupações, levando a prefeitura a decretar situação de emergência. A Defesa Civil alertou para um “risco iminente” de afundamento do solo no bairro de Mutange, onde a situação é crítica.

Entenda a situação:

A mineração em Maceió começou na década de 1970, quando a Salgema Indústrias Químicas S/A, posteriormente renomeada Braskem, obteve autorização para a extração de sal-gema. Em 2018, rachaduras no bairro do Pinheiro e um tremor de magnitude 2,5 evidenciaram danos irreversíveis nos imóveis, sendo confirmada pelo Serviço Geológico do Brasil um ano depois.

Em junho de 2019, as primeiras ordens de evacuação foram emitidas para moradores de Pinheiro, Mutange e Bebedouro, posteriormente estendidas para parte do Bom Parto e do Farol. Mais de 14 mil imóveis foram desocupados, transformando áreas antes habitadas em bairros fantasmas.

Trabalho de estabilização

Após a identificação da mineração como causa da instabilidade, a Braskem iniciou um intenso trabalho para fechar e estabilizar 35 minas na região do Mutange e de Bebedouro, com profundidade média de 886 metros. Contudo, cinco tremores de terra em novembro aumentaram o alerta, levando a Defesa Civil a destacar o “risco de colapso em uma das minas”, a de número 18.

Impactos potenciais

Abel Galindo, professor da UFAL, avalia que o desabamento da mina 18 pode afetar duas minas vizinhas, formando uma cratera capaz de abrigar o estádio do Maracanã. O colapso resultaria no escoamento de água, terra e detritos, formando um lago com profundidade de 8 a 10 metros. A água da lagoa ficaria salgada, impactando tragicamente toda a área de mangue na região, segundo a Defesa Civil.

Avaliação e monitoramento

Uma nova equipe do Serviço Geológico do Brasil foi enviada a Maceió para avaliar o problema, enquanto a Defesa Civil Nacional monitora a situação. A Justiça Federal determinou a retirada de mais de 20 famílias nas áreas de risco nos bairros do Bom Parto. Apesar de não haver ordem de evacuação no Pinheiro, um hospital transferiu todos os pacientes para unidades de saúde seguras.

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil