Queda de helicóptero: PM tenta agilizar resgate dos corpos em área de mata

Equipes enfrentam dificuldades para acessar a área do acidente

Helicóptero desaparecido em SP é localizado em Paraibuna
Divulgação/FAB

Queda de helicóptero no Vale do Paraíba: Equipes enfrentam desafios no resgate dos corpos. Coronel Barreto destaca urgência na liberação para as famílias. Delegado Campos Melo esclarece sobre a localização dos corpos. Aeronave Robinson R44 de 2001 estava com piloto e três passageiros. Mistério sobre o momento das mortes aguarda perícias.

O chefe do Comando de Aviação da Polícia Militar de São Paulo, coronel Ronaldo Barreto de Oliveira, informou à CNN que as equipes de resgate estão empenhadas em agilizar a retirada dos corpos das quatro vítimas do acidente do helicóptero prefixo PR-HDB. Os destroços da aeronave foram localizados nesta sexta-feira (12) em uma área de mata no Vale do Paraíba (SP). Barreto destaca que, antes da remoção, é necessário aguardar as perícias da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Polícia Científica.

A dificuldade de acesso à região tem sido um desafio para as equipes de resgate. Pela manhã, policiais militares precisaram utilizar rapel para chegar ao local, localizado em Paraibuna. O coronel ressalta a urgência em conseguir acesso terrestre ou aéreo para agilizar as medidas administrativas e permitir a liberação dos corpos às famílias. “Nosso trabalho agora é reduzir esse tempo para que as famílias tenham acesso a um enterro digno”, acrescentou Barreto.

O diretor do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), da Polícia Civil de São Paulo, delegado Paulo Sérgio Rios Campos Melo, informou que os corpos das vítimas foram encontrados próximos à aeronave, que se destroçou ao atingir as árvores. Ainda é incerto se as vítimas faleceram no momento da queda ou posteriormente, esclarecerá após as perícias e exames necroscópicos.

A aeronave acidentada, um Robinson R44 fabricado em 2001, era pilotada por Cassiano Tete Teodoro, 44 anos. Além do piloto, estavam a bordo o empresário Raphael Torres, 41, a comerciante Luciana Rodzewics, 46, e a filha dela, Letícia, 20. A tragédia levanta questionamentos sobre as circunstâncias do acidente, aguardando resultados das investigações para esclarecimento.

 

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil