Nível do Guaíba baixa 17 cm em Porto Alegre, mas ainda está acima dos 4 metros

Estado registra 165 mortos e 64 desaparecidos devido aos temporais e enchentes


Sacos de areia substituem comporta retirada de muro anticheia em Porto Alegre — Foto: Mateus Bruxel/Agência RBS

Nível do Guaíba Baixa, mas Permanece Acima do Limite de Inundação

O nível do Guaíba, em Porto Alegre, registrou uma baixa de 17 centímetros em 12 horas após ter ultrapassado os 4 metros devido às intensas chuvas que assolaram a capital do Rio Grande do Sul. O estado enfrenta um cenário trágico com 165 mortos e 64 desaparecidos por causa das tempestades e enchentes. Segundo o boletim da Defesa Civil divulgado na manhã deste sábado (25), 637 mil pessoas estão desabrigadas.

De acordo com a medição realizada pela Agência Nacional de Águas (ANA) no cais Mauá, o nível do lago atingiu 4,32 metros na sexta-feira (24) por volta das 19h e começou a recuar, alcançando 4,15 metros às 7h15 deste sábado (25).

Cientistas Alertam para Cheia Duradoura

A cota de inundação do Guaíba é de 3 metros, o que significa que a água ainda não recuou o suficiente e continua a alagar áreas urbanas de Porto Alegre. Especialistas do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da UFRGS preveem que a cheia será prolongada.

“Os cenários de previsão indicam uma cheia duradoura, com manutenção dos níveis elevados nos próximos dias”, afirmam os cientistas. “Os níveis do Guaíba devem oscilar em torno da marca dos 4 metros, com elevações causadas pelos ventos previstos e manutenção dos níveis devido às chuvas recentes e às previstas para a próxima semana”, destacam.

Medidas Emergenciais e Impactos na População

A prefeitura de Porto Alegre adotou medidas emergenciais, como a colocação de sacos de areia para conter o avanço das águas no mesmo local onde, uma semana antes, foi aberta uma comporta para escoar a água acumulada nas ruas.

As consequências das enchentes são severas. Além das mortes e desaparecimentos, 806 pessoas ficaram feridas e quatro morreram devido à leptospirose após contato com a água contaminada das enchentes. A instabilidade climática causou precipitações superiores a 100 milímetros em 24 horas, entre quinta e sexta-feira, fazendo de maio o mês mais chuvoso em mais de um século, conforme levantamento da Climatempo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) desde 1916.

Alerta para Deslizamentos e Riscos Adicionais

A Defesa Civil de Porto Alegre emitiu um alerta para 26 pontos de alto risco de deslizamentos, processos erosivos e rolamento de blocos em áreas suscetíveis. O alerta, válido até segunda-feira (27), busca prevenir novos desastres em meio à crise atual.

A situação deixa a população em alerta constante, sem saber como lidar com os riscos de alagamentos e deslizamentos. As autoridades seguem monitorando as condições climáticas e os níveis do Guaíba, enquanto buscam soluções para minimizar os impactos das enchentes.

Morador limpa rua suja de lama em Porto Alegre — Foto: Reprodução/RBS TV

Morador limpa rua suja de lama em Porto Alegre — Foto: Reprodução/RBS TV

Ondas invadem parque na Orla do Guaíba, em Porto Alegre — Foto: Renan Mattos/Agência RBS

Ondas invadem parque na Orla do Guaíba, em Porto Alegre — Foto: Renan Mattos/Agência RBS

Google Search Nitro News Brasil