Cigana Presa Detalha o Que Namorada Suspeita Fez para Corpo Não Exalar Cheiro, Pois Até Urubu Apareceu na Janela

Namorada do empresário morto com brigadeirão envenenado, teria usado ventilador e água sanitária para corpo não exalar cheiro

A cigana Suyany Breschak foi presa sob suspeita de envolvimento na morte do empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond. Em seu depoimento, Suyany revelou detalhes perturbadores sobre as ações de Júlia Andrade Cathermol Pimenta, a namorada da vítima, para ocultar o corpo e minimizar o cheiro do cadáver.

Ocultação do Corpo

Segundo Suyany, Júlia teria utilizado lençóis e cobertores para enrolar o corpo do empresário e ligou ventiladores no apartamento para dissipar o odor. Júlia também teria lavado o local com água sanitária, tentando controlar o cheiro, mas mesmo assim, urubus foram avistados nas proximidades do apartamento.

Contexto do Crime

O empresário Luiz Marcelo foi encontrado morto em seu apartamento no Engenho Novo, Zona Norte do Rio, em 20 de maio. Suyany, que atuava como mentora espiritual de Júlia, afirmou que a jovem contratava seus serviços para que familiares e namorados não descobrissem que ela era garota de programa. Ao longo dos anos, Júlia teria acumulado uma dívida de R$600 mil com a cigana.

Detalhes do Homicídio

No depoimento, Suyany relatou que Júlia admitiu ter colocado 50 comprimidos moídos em um brigadeirão que deu para Luiz Marcelo. Ela mesma consumiu o doce, mas em um prato separado, sem a substância. A cigana contou que Júlia ligou e descreveu como Luiz Marcelo começou a respirar ofegante e, de repente, parou.

Reação dos Vizinhos

Os vizinhos de Luiz Marcelo notaram um cheiro forte no prédio e acionaram a polícia. Júlia conviveu com o cadáver do namorado durante todo o fim de semana antes de tentar fugir com pertences da vítima. Câmeras de segurança registraram Júlia agindo normalmente, indo à academia e carregando itens no carro de Luiz Marcelo.

Laudo e Investigação

O laudo indicou que o corpo estava em avançado estado de decomposição, com a morte ocorrendo entre três e seis dias antes de ser encontrado. Pequena quantidade de líquido achocolatado foi identificada no sistema digestivo da vítima. A polícia encontrou um analgésico forte na cena do crime, e registros mostraram que Júlia comprou um medicamento de uso controlado dias antes da morte de Luiz Marcelo.

Frieza e Premeditação

O delegado Marcos Buss destacou a frieza de Júlia, que permaneceu no apartamento com o cadáver por vários dias, indo até a academia e se alimentando normalmente. Júlia foi descrita como fria em seu depoimento à polícia, onde alegou que Luiz Marcelo havia servido seu café da manhã na segunda-feira, algo impossível conforme a necropsia.

Prisão e Defesa

Suyany foi presa em Cabo Frio e transferida para o Rio de Janeiro. O advogado de Suyany, Cleison Rocha, afirmou que sua cliente é inocente e está sendo acusada injustamente. Segundo ele, a relação entre Suyany e Júlia era apenas profissional, sem qualquer envolvimento pessoal.

A polícia, no entanto, acredita que o crime foi premeditado e continua investigando para reunir mais provas sobre a participação de ambos no caso.

Movimentações Suspeitas

No sábado (18), Júlia foi vista sozinha no elevador, indo à garagem e colocando itens no porta-malas do carro de Luiz Marcelo. No domingo (19), às 10h40, ela foi até a academia do prédio para malhar. Na segunda (20), ao meio-dia, apareceu com dois celulares e, cerca de uma hora depois, na portaria com uma mala e duas bolsas. Às 13h20, Júlia deixou o prédio após esperar a chegada do cartão da conta conjunta que abriu com Luiz Marcelo.

Detalhes do Crime

A necropsia não determinou a causa da morte, mas o perito identificou pequena quantidade de líquido achocolatado no sistema digestivo, indicando que Luiz Marcelo comeu um brigadeirão envenenado. A polícia encontrou um analgésico forte na cena do crime e apurou que Júlia comprou um medicamento de uso controlado nove dias antes da última imagem de Luiz Marcelo vivo.

Conclusão

O caso ainda está sob investigação, e a polícia busca reunir mais evidências para esclarecer totalmente os acontecimentos. A participação de Suyany e a frieza de Júlia, conforme destacado pelo delegado Marcos Buss, são pontos centrais na investigação desse crime bárbaro.

Polícia divulga cartaz pedindo informações de Júlia Andrade Cathermol Pimenta, suspeita de matar o namorado — Foto: Divulgação

Polícia divulga cartaz pedindo informações de Júlia Andrade Cathermol Pimenta, suspeita de matar o namorado — Foto: Divulgação

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil