Suspeita de Matar Namorado com Brigadeirão Deu Carro Dele para Pagar Dívida de R$ 600 mil, diz Cigana

Dívidas com Agiota e Cigana Charlatã Teriam Motivado Morte de Empresário pela Namorada em Engenho Novo, Rio de Janeiro

Julia Andrade suspeita do crime no elevador com o namorado Foto: Policia Civil RJ

A polícia investiga a morte do empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond, encontrado morto em seu apartamento no Engenho Novo, Zona Norte do Rio de Janeiro, no dia 20 de maio. A principal suspeita é sua namorada, Júlia Andrade Cathermol Pimenta, de 29 anos, que estaria envolvida em uma trama complexa de dívida e assassinato. Júlia é acusada de envenenar Luiz com um brigadeirão.

A Dívida com a Cigana

Júlia Cathermol tinha uma dívida de R$ 600 mil com Suyany Breschak, conhecida como Cigana, que realizava trabalhos espirituais para ela. Suyany, presa na terça-feira em Cabo Frio, revelou à polícia que Júlia usava seus serviços para esconder de familiares e namorados que trabalhava como garota de programa. A dívida vinha sendo paga em parcelas mensais de R$ 5 mil, mas Júlia entregou o carro de Luiz, um Honda CRV, como parte do pagamento após a morte dele.

O Envolvimento de Vitor

O carro de Luiz foi entregue a um homem identificado como Vitor, supostamente ex-namorado de Suyany. Segundo o depoimento da cigana, Vitor estava ciente do envolvimento do veículo em um possível homicídio, mas aceitou o carro como forma de abater R$ 75 mil da dívida de Júlia. Vitor foi preso por receptação quando a polícia o encontrou com o carro, o celular e um computador de Luiz Marcelo.

Detalhes da Investigação

A polícia encontrou Luiz Marcelo morto no sofá da sala, com dois ventiladores ligados e cartelas de morfina ao lado. Júlia foi vista pela última vez com Luiz na sexta-feira anterior à descoberta do corpo. Imagens de câmeras de segurança mostram o casal saindo da piscina juntos. Júlia alegou ter deixado o apartamento na segunda-feira após uma briga. No entanto, a polícia descobriu que ela saiu do prédio com malas e passou com o carro na Via Lagos em direção a Cabo Frio, onde se encontrou com Suyany.

Fuga e Prisão

Júlia é considerada foragida pela polícia. Suyany, durante seu depoimento, afirmou que ajudou Júlia a planejar o crime e que ministravam medicamentos à vítima há algum tempo. Após a morte de Luiz, Júlia teria usado o celular dele para negociar a venda de um imóvel e pediu ao comprador que adiantasse a transferência de R$ 3 mil.

Apelo por Informações

O Disque Denúncia divulgou um cartaz pedindo informações sobre o paradeiro de Júlia Andrade Cathermol Pimenta. A polícia acredita que ela esteja escondida com a ajuda de amigos e familiares. Suyany contou que Júlia contraiu a dívida de R$ 600 mil ao longo de cinco anos de trabalhos espirituais.

Desfecho

O caso está sendo investigado pela 25ª DP (Engenho Novo). Os investigadores aguardam os resultados dos exames complementares para determinar a causa da morte de Luiz Marcelo. A cena do crime e os depoimentos levantaram suspeitas de que a morte não foi natural, reforçando a hipótese de homicídio planejado.

Conclusão

A história de Júlia Andrade Cathermol Pimenta e a complexa rede de dívida e assassinato envolvendo Suyany Breschak, conhecida como Cigana, revela um enredo intrincado que desafia os investigadores. A busca por Júlia continua enquanto novas evidências e depoimentos surgem, trazendo à tona os detalhes sombrios de um crime que abalou a Zona Norte do Rio de Janeiro.

Uma pessoa apaixonada por esportes, praias e pela leitura de clássicos literários como "Dom Casmurro", além de obras contemporâneas como "O Código Da Vinci" e explorando questões fascinantes sobre a "Origem da Vida", sempre buscando cativar as pessoas.

Google Search Nitro News Brasil