“Melhor da Noite” estreia com ótima audiência na Band, homenagem a Faustão e lança campanha de doação de órgãos

Zeca Camargo e Glenda Kozlowski cativam audiência na primeira noite do novo programa da Band

A tão aguardada estreia do programa “Melhor da Noite” finalmente chegou, substituindo o icônico “Faustão na Band”. Os apresentadores Zeca Camargo e Glenda Kozlowski brilharam na noite de segunda-feira (21/8), emocionando a todos ao prestarem uma homenagem tocante a Fausto Silva, atualmente à espera de um transplante cardíaco. Não apenas isso, mas também marcaram o lançamento de uma campanha essencial: “Doe órgãos, Doe vida.”

Melhor da Noite,Faustão, Zeca Camargo, Band

Na homenagem a Faustão, Glenda Kozlowski capturou a essência do sentimento nacional ao expressar: “Nossas orações estão com sua saúde. Cada um de nós guarda um pedacinho do Fausto em nosso coração. Através dele, aprendemos a enxergar a vida com esperança, amor e diversão. O homem com o coração mais generoso do Brasil agora necessita de um novo coração.”

Zeca Camargo ressaltou a grandeza de ocupar o horário outrora preenchido por Faustão: “Receber este bastão é uma honra incomparável. Em qualquer situação, lembraríamos de você com carinho. Hoje, porém, é especial, é uma situação de torcida. Vamos honrar essa torcida. Uma responsabilidade imensa, mas, sobretudo, uma honra. O lema é: faz ao vivo, Fausto.”

A primeira edição do “Melhor da Noite” também foi o cenário para o lançamento da significativa campanha “Doe órgãos, Doe vida.” A intenção é sensibilizar a população quanto à importância vital da doação de órgãos e tecidos para salvar vidas.

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, aproveitou o programa para elogiar a iniciativa da Band e salientar a necessidade da conscientização: “O grande desafio é promover uma campanha que sensibilize. Ainda que haja um registro da vontade de doar por parte da pessoa, é à família que cabe a autorização. A conscientização desempenha um papel crucial aqui”, enfatizou.

A campanha também contou com depoimentos tocantes de indivíduos cujas vidas foram impactadas pela doação de órgãos, como Márcia Ferreira Maluf, pioneira a receber um coração transplantado no Brasil, e Daniela e Luiz Henrique Colacino, que doaram os órgãos de seu filho falecido.

Nos meandros do sistema de transplantes brasileiro, o país orgulhosamente ostenta o maior sistema público de transplantes de órgãos no mundo, com o segundo lugar em números de transplantes, apenas atrás dos Estados Unidos. A ação do Ministério da Saúde garante que 90% das cirurgias sejam realizadas através do Sistema Único de Saúde (SUS), coordenado por 27 centrais estaduais.

Atualmente, existem 617 hospitais e 1.495 equipes autorizadas a efetuar transplantes no Brasil. O período de espera por um órgão varia conforme fatores como prioridade e compatibilidade entre órgão e receptor. Todavia, a conscientização promovida pela campanha tem o potencial de reduzir a fila de espera por transplantes, dando esperança a milhares de pacientes.