Chuvas no litoral de SP: Lula prega união e fala em construir casas para famílias atingidas

Presidente sobrevoou nesta segunda-feira (20) áreas devastadas por tempestade no fim de semana. Pelo menos 36 pessoas morreram e há dezenas de desaparecidos.

Tarcísio de Freitas, Lula e prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, após reunião para tratar dos desastres provocados por chuvas no Litoral Norte — Foto: Reprodução/GloboNews

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pregou nesta segunda-feira (20) união e ação conjunta entre governos federal, estadual e municipais para o enfrentamento dos desastres provocados pelas fortes chuvas no Litoral Norte de São Paulo.

Ele também falou em construir casas, em “terrenos seguros”, para famílias que foram prejudicadas pelas tempestades na região.

Antes de dar as declarações, o petista sobrevoou áreas atingidas pelos temporais. Ele também se reuniu com o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e o prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto (PSDB), para tratar da situação. Vários ministros participaram da audiência.

Pelo menos 36 pessoas morreram após as fortes chuvas na região – 35 vítimas em São Sebastião e uma em Ubatuba.

Equipes de resgate seguem as buscas por soterrados em São Sebastião. Ao menos, 40 pessoas estão desaparecidas.

“Você, [prefeito Felipe Augusto], só tem que arrumar um terreno mais seguro para que a gente possa [dizer] pras pessoas: ‘Vocês vão voltar a ter o ninho de vocês pra cuidar da família de vocês'”, declarou Lula.

Lula pediu orações pelas vítimas e para que as chuvas diminuam na região. “Eu acho que uma boa reza com muita fé sempre ajuda a gente conquistar aquilo que a gente quer”, declarou.

Ele também destacou o trabalho conjunto do governo federal, com os governos estadual e local.

“Eu queria mostrar pra vocês uma cena que vocês não viam no Brasil: um governador, um presidente e um prefeito, sentados na mesa, em função de uma coisa comum que atinge a todos nós”, disse.

Governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, foi ministro do governo Jair Bolsonaro (PL) e apoiou o ex-presidente na eleição de 2022, vencida por Lula.

Ações

 

Lula viajou de Salvador (BA) para São Paulo nesta segunda-feira. Ele estava no litoral baiano, onde passava o feriado de Carnaval.

Neste domingo, em uma rede social, ele anunciou que viajaria ao Litoral Norte de SP para acompanhar os trabalhos de enfrentamento à tragédia provocada pelas chuvas.

Segundo informou a Defesa Civil, o volume de chuva nas últimas 24 horas superou o esperado para todo o mês de fevereiro em três cidades do Litoral Norte.

O governo federal enviou agentes da Defesa Civil Nacional para ajudar na assistência das vítimas e no apoio às áreas afetadas.

Além disso, no domingo, reconheceu a situação de calamidade na cidade de São Sebastião, medida que facilita o envio de verbas e suporte federais para o local.

Nesta segunda-feira, o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, anunciou a ampliação do estado de calamidade pública para mais cinco municípios do litoral Norte de São Paulo:

  1. Guarujá
  2. Bertioga
  3. Caraguatatuba
  4. Ilhabela
  5. Ubatuba

 

O ministro dos Portos e Aeroportos, Márcio França, informou neste domingo que vai liberar R$ 2 milhões para ações em cidade atingidas por temporais em São Paulo. Os recursos, segundo o ministro, sairão da Autoridade Portuária de Santos, a administradora do Porto de Santos, uma estatal federal

Kits de Medicamentos

 

O Ministério da Saúde informou nesta segunda-feira que serão enviados à região três kits de medicamentos, que podem atender cerca de 4,5 mil pessoas por um mês.

Cada kit, de acordo com a pasta, contém 25 tipos de medicamentos e 13 insumos, que podem ser utilizados em situações de emergência.

Mantimentos

 

Em uma rede social, o ministro de Portos e Aeroportos disse que empresas do setor portuário doaram 30 toneladas de mantimentos, como água potável, alimentos e produtos de limpeza para as famílias que vivem nas regiões atingidas pelas tempestades.

Os itens serão transportados do Porto de Santos para São Sebastião em um navio da Marinha, conforme o ministro.

Transportes

 

Nesta segunda-feira, o Ministério dos Transportes divulgou nota na qual afirma que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) está atuando 24 horas por dia na manutenção preventiva de pontes e rodovias.

A pasta declarou também que atua em conjunto com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Polícia Rodoviária Federal e a Defesa Civil para atender eventuais ocorrências no tráfego de veículos. “Não faltarão recursos materiais e financeiros”, diz a nota.

O Ministério dos Transportes pede ainda atenção a motoristas que transitam pelas rodovias da região e que eles comuniquem às autoridades eventuais sinais de risco.

Veja, abaixo, as principais informações sobre a tragédia:

  • No Litoral Norte, morreram ao menos 36 pessoas, sendo 35 em São Sebastião e uma em Ubatuba, informaram as prefeituras.
  • Uma das vítimas é uma menina de 7 anos que, na madrugada deste domingo, teve a casa destruída por uma pedra de duas toneladas em Ubatuba. Em São Sebastião, uma mulher de 35 anos morreu depois que a casa dela foi atingida por uma árvore.
  • Em São Sebastião, uma criança de 2 anos foi resgatada após ter ficado horas sob os escombros. Também na cidade, as equipes resgataram uma mulher em trabalho de parto que estava isolada – a mãe e o bebê ficaram bem.
  • Segundo o governo estadual, mais de 560 pessoas precisaram deixar suas casas no litoral. De acordo com registros oficiais, 228 pessoas ficaram desalojadas, e 338, desabrigadas.
  • O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto (PSDB), afirmou neste domingo que 50 casas desabaram na cidade e disse: “Cena assustadora”.
  • O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), decretou estado de calamidade em Guarujá, Bertioga, São Sebastião, Caraguatatuba, Ilhabela e Ubatuba.
  • Helicópteros da PM enfrentaram dificuldades para resgatar vítimas devido ao tempo fechado. O Exército enviou aeronaves para ajudar nos trabalhos. A operação de buscas em São Sebastião e Ubatuba envolve mais de 100 bombeiros.
  • Em vários pontos do litoral paulista, houve registros de falta de água, luz e sinal de celular.

Faça mais pelo seu site