Vídeo: ‘Fantástico’ fala sobre o Caso Djidja, a ex-sinhazinha que morreu por overdose de cetamina; veja

Trágica Morte de Djidja Cardoso

A empresária e ex-sinhazinha do Boi Garantido, Djidja Cardoso, morreu na última terça-feira (28) devido a uma overdose de cetamina. A Polícia Civil do Amazonas investiga o caso e revelou detalhes perturbadores sobre a vida de Djidja, sua família e a seita que eles formaram. Djidja, seu irmão Ademar e sua mãe Cleusimar se consideravam representações de figuras bíblicas, vivendo uma realidade alucinógena proporcionada pela droga.

A Seita “Pai, Mãe, Vida”

De acordo com as investigações, a família de Djidja criou um grupo religioso chamado “Pai, Mãe, Vida”. Nesse grupo, eles incentivavam o uso de cetamina, uma droga alucinógena e anestésica, para alcançar uma suposta plenitude espiritual. A cetamina, normalmente usada como anestésico veterinário, passou a ser consumida regularmente pela família, levando-os a estados frequentes de alucinação.

A primeira exposição da família à cetamina ocorreu há pouco mais de um ano. Desde então, Djidja, Ademar e Cleusimar passaram a ter visões intensas e distorcidas da realidade. Segundo o delegado Cícero Túlio, a droga foi obtida ilegalmente através de Verônica da Costa, gerente do salão de beleza de Djidja, que comprava a substância de clínicas veterinárias.

Prisões e Apreensões

Na última quinta-feira (30), Ademar, Cleusimar, Verônica e outros dois funcionários foram presos. Durante as buscas na residência da família e em uma clínica veterinária, a polícia apreendeu seringas e frascos de cetamina. A advogada dos acusados, Lidiane Roque, afirmou que sua prioridade é o bem-estar e a saúde mental dos clientes e que buscará interná-los para tratamento.

“Eles precisam de ajuda médica”, declarou Lidiane. “Vamos aguardar a conclusão da investigação policial para construir a estratégia de defesa”.

Acusações de Estupro e Abuso

Além das acusações de tráfico de drogas, Ademar também é investigado por estupro de vulnerável. Uma ex-namorada, que preferiu não se identificar, afirmou que foi aliciada por ele para entrar na seita e consumir a droga. Segundo ela, o uso da cetamina era obrigatório para participar dos rituais do grupo.

“Você só podia frequentar a casa se usasse droga e meditasse”, contou a vítima. Investigadores suspeitam que Ademar tenha mantido relações sexuais com ela enquanto ela estava sob efeito da cetamina. Há também indícios de que ela sofreu um aborto devido ao uso da droga.

Perigos da Cetamina

A cetamina é uma substância anestésica utilizada principalmente em cirurgias veterinárias, mas seu uso abusivo pode ser extremamente perigoso. Segundo o delegado Cícero Túlio, o abuso da droga pode levar a alucinações intensas e estados de quase morte.

“O uso inapropriado da cetamina é um problema grave”, explicou o psiquiatra Arthur Guerra. “Embora tenha aplicações médicas sob supervisão de anestesiologistas, seu uso recreativo ou espiritual é perigoso e viciante.”

Vídeo Completo da Matéria

O programa ‘Fantástico’ da Rede Globo abordou extensivamente o caso de Djidja Cardoso, trazendo à tona os detalhes da investigação e os perigos do uso abusivo de cetamina. Assista abaixo o vídeo completo da matéria.

A tragédia de Djidja Cardoso serve como um alerta sobre os perigos do abuso de drogas e a influência negativa que seitas podem exercer sobre indivíduos vulneráveis. A investigação continua, buscando justiça e esclarecimento sobre os eventos que levaram à sua morte prematura.